segunda-feira, 1 de agosto de 2011

OBRA COM O "IR. LEONARDO" - GLÓRIA A DEUS!


A fé é um dom interessante, parece que tem vida própria, tanto que as vezes parece até que prega peças em nós! Um dia, logo quando eu mudei para minha cidade eu estava desempregado e Deus mandou a obra da piedade na minha casa. Indescritível, irmãos, dizer a alegria, eu com filhos pequenos e ver do porta mala de um carro descer uma compra para garantir o pão na mesa para os meus filhos e ver que no meio da compra tinha até um pacote de balas para o meu filhinho picareta. Quando eu fui no portão me despedir dos irmãos e irmãs que levaram a compra, o irmão me falou assim Irmão, se Deus preparar vai com nós na construção do Prédio da nossa Regional. Eu tava tão arrebatado por ter sido suprido na hora da maior necessidade que falei assim para o irmão Sim, eu estarei lá com vocês no nome do Senhor Jesus! E entrei alegre para casa e minha esposa tava parada na porta com os braços cruzados e falou Você falou que vai na construção com os irmãos? e eu respondi sim, e ela disse E o seu problema de coluna?

Aí eu lembrei que não posso fazer o menor esforço, não posso pegar meus filhos no colo porque manifestou-se em mim um grave problema de coluna, já houve dia de eu não conseguir me levantar pela manha e me levarem todo torto para o ortopedista e darem banho de luz infra-vermelho na minha coluna para ver desinflamava antes de tentarem colocar a minha coluna no lugar. O meu tipo de problema é complicadíssimo por que expanou o encaixe da coluna no osso da bacia, e o médico me falou que para isso não tem prótese, nem cirurgia, nada, só cama e cadeira de rodas por que mais uma ou poucas vezes que minha coluna sair do lugar ela pode perder o encaixe completamente, inclusive sempre precisei fazer regimes pois quando aumenta o peso um pouco já começa a doer a coluna. Bom, apó cair a minha ficha para esse pequeno detalhe, eu falei, Bom, o pior é que do jeito que eu falei agora tenho que ir...

E fui (e as costas já estavam doendo) e chegando lá tive que ajudar como servente pois não sei assentar um tijolo (aliás, quem troca fusível queimado e resistência de chuveiro lá em casa é a minha mulher, neste sentido ela é o homem da casa, sou um pato, não sei fazer nada). Bom, os serventes sofrem numa obra, sempre ficam com a parte pesada: fazem tudo que deve ser feito por uma pessoa que não tem problemas de coluna, empurram carrinhos de areia, levantam latas de concreto, peneiram areia, aplainam terrenos com enxada, e eu tentava disfarçar para ninguém perceber o meu problema, até porque os irmão nem permitiriam que eu estivesse ali se soubessem, são zelosos e cuidadosos nesta parte, mas eu me preocupava com a maneira como falei, que ESTARIA ALI NO NOME DO SENHOR JESUS. E só sobrava o pior pra mim, e no pensamento eu falava ai,ai, mas continuava ali.

Enquanto enchia carrinhos de areia com uma pá, sem querer desabafei com um irmão e falei Nossa, minha coluna tá doendo muito, eu nem poderia estar aqui, tenho um problema gravíssimo de coluna, e aquele irmão parou de encher o outro carrinho e me falou E nem eu poderia estar aqui, meu irmão, eu também tenho um problema de coluna, mas eu to trabalhando aqui e Deus vai me libertar, e aí eu vou vir até terminar a construção, é um voto que eu tô fazendo! Quando eu ouvi o voto que o irmão fez com tanta firmeza eu falei AMÉM. Ora, eu falei amém pelo voto dele! Eu não votei nada! Só que quando eu falei amém eu senti como se alguém tocasse na minha coluna, senti como se fosse uma brasa de fogo sobre a inflamação, e aquele calor ficou intenso e foi suavizando numa fração de segundos, e eu parei assustado, com o corpo esticado, e não falei nada pra ninguém.

Fomos almoçar e me sentei em uma posição que geralmente me travava, e quando levantei estava normal. Peguei peso, me encurvei para pegar areia com a pá, pilotei uma peneira, e nada da coluna doer, não parecia tão frágil, parecia que tinha um cinto sustentando minha coluna. Fui embora no final do dia e durante aquela semana me sentia uma pessoa sem problemas! Sabem o que fiz? Na outra semana eu estava na construção outra vez e falei pra minha esposa que eu precisava ir até o final da construção por causa do voto que o irmão havia feito. Minha esposa disse Tá louco! O irmão que fez um voto e você que tem que pagar? Sobre ser louco eu não falei nada, sou mesmo, não dá pra questionar, mas o que eu respondi para ela lhe tirou todas as chances de contra-argumentar: Eu disse Ora, se eu soubesse que naquela hora eu fizesse um voto Deus ia me libertar eu não ia esperar aquele irmão, eu mesmo ia votar! Mas se eu não votei, aquele irmão fez um voto e eu falei Amém na fé que Deus ia libertar ele e no amém Deus me libertou, se eu peguei uma carona no voto dele e Deus me libertou eu tô no lucro, que prejuízo eu vou ter com isso? Ele que votou mas eu que recebi, então eu adotei o voto dele e fiz que o voto dele seja o meu, tudo mundo pede primeiro pra depois receber, mas se todos vão pela porta de entrada e eu entrei pela porta da saída, qual o problema? Eu tô no lucro, recebi primeiro e tô pagando depois!

E assim foi, trabalhei até o final daquela construção ou pelo menos até quando havia trabalho para serventes, já tá indo para cinco anos, só uma vez tive um susto, mas não era nada, o meu termômetro para saber que Deus me libertou é que estou cada vez mais maravilhosamente gordo e não sinto dores na coluna! Ah, sim, e tem um detalhe, isso eu não tentei entender e os irmão entendam, se for possível: aquele irmão que fez o voto não voltou mais na construção depois do dia em que fez aquele voto e tem problema na coluna até hoje. (?????) rsrs..........

2 comentários:

  1. QUE MARAVILHA DE BLOGS, CADA POSTAGEM UMA EDIFICAÇÃO. PRAZER EM CONHECER MEU NOVO IRMÃO. JESUS TE CAPACITE CADA DIA MAIS E MAIS. FICA COM DEUS.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...