quinta-feira, 31 de março de 2011

CALÚNIA, DIFAMAÇÃO E INJÚRIA NA INTERNET: Cuidado com que vcs dizem do semelhante!



Introdução

O internauta, quer seja um blogueiro ou um usuário de uma rede social como o Orkut, muitas vezes esquece que as relações entre brasileiros, mesmo a realizadas na internet, estão sujeitas à lei. A internet possui uma ampla área sem definição de normas, principalmente quando trata de relação entre pessoas e empresas de países diferentes, porém em muitos casos existe clara definição legal, em particular no Código Penal. Uma destas áreas já protegida pelas leis brasileiras é o que se refere-se aos crimes contra a honra: calúnia, 
difamação e injúria. Notadamente existe uma grande confusão sobre os termos e este texto busca esclarecer as diferenças para que os internautas não sejam penalizados sem o conhecimento, pois autor não pode alegar desconhecimento da lei. Desta forma segue a explicação sobre cada um dos crimes.

Informações Iniciais
Este texto tenta ser o mais simples possível, e evita termos jurídicos. Pode não ser a explicação mais acadêmica, mas será a de mais fácil compreensão ao internauta médio.
Considera-se que o ato de ofensa pode ser realizado via qualquer sistema (site, blog, mensageiros, e-mail, wiki). Normalmente, na internet, ocorre com textos escritos, mas pode ocorrer através de sistema de transmissão de voz e vídeo.
Calúnia
Calúnia
Art. 138 - Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
§ 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.
§ 2º - É punível a calúnia contra os mortos.
Neste crime o autor divulga falsamente ato definido como crime a vítima, logo deverá existir alguma descrição correspondente no texto na lei como “fulano roubou a empresa X”. No texto citado houve uma correspondência com o crime de roubo, porém dizer que “fulano é ladrão” constitui uma declaração de uma falta de qualidade moral e não uma especificação de um fato criminoso, desta forma não pode ser descrita como calúnia. Já escrever “fulana traiu o marido no dia X” também não constitui calúnia porque já não mais existe o crime de adultério.
No crime de calúnia é necessário a intenção de divulgar fato falso definido como crime. Se não houve intenção de informar dado falso não constitui este crime, porém se houver dúvida na acusação e mesmo assim o autor a divulgou, será calúnia. Boa parte dos estudiosos do Direito (doutrina) alega que é necessário a intenção de ofender, porém não é consenso nos tribunais.
Calúnia só existe quando existe divulgação, logo é necessário que a falsa afirmação chegue ao conhecimento de uma pessoa que não seja o ofendido. Se for um e-mail ou mensagem eletrônica de conteúdo visto apenas pelas partes não trata-se de calúnia.

Difamação
Difamação
Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.
No crime de difamação trata da divulgação de fato ofensivo a reputação. Como a calúnia, também é necessário que chegue ao conhecimento de terceira pessoa, e que exista intenção de ofender, porém é importante distinguir que a acusação pode ser falsa ou verdadeira, ou seja, a divulgação de informação mesmo verdadeira que crie uma visão social negativa é difamação. O dano é ferir a reputação daquele para quem foi direcionado a acusação. Assim, a divulgação da acusação que uma pessoa traiu o seu cônjuge, mesmo que verdadeira, é considerada difamação.
Se o fato alegado constitui crime e for falso, trata-se de calúnia e não de difamação.

Injúria
Injúria
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.
Este crime trata do sentimento pessoal do acusado, logo não precisa ser divulgado para terceira pessoa para que ocorra, já que a mensagem direta entre dois internautas pode ser definida como injúria. Trata-se de afirmações ou atos que ataquem como negativas as qualidades do acusado.
Retratação
É o ato que permite que o autor, antes da sentença, nos casos de calúnia e difamação, negue a acusação alegada e propagada. Na injúria não é possível pois é um sentimento pessoal que não será restabelecido pelo novo posicionamento do autor.
Ameaça
Ameaça
Art. 147 - Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave:
Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.
Outro crime comum existente na internet, é o crime de ameaça que está localizado no capítulo de Crimes Contra a Liberdade Individual. O fato de alguém escrever um scrap no Orkut ou mensagem em fórum intimidando uma pessoa com mal justo como por exemplo “eu vou te matar” ou “estarei de olho na sua família” são ameaças definidas como crime.
Observações
  • Os fatos considerados crimes para o efeito de calúnia não se encerram no Código Penal. Várias outras leis penais contem definições de crimes e penas como por exemplo: Lei de Direitos Autorais, Lei de Proteção da Propriedade Intelectual de Programa de Computador, Lei de Proteção ao Meio Ambiente, etc.
  • Podem existir acusação de prática de dois crimes com o mesmo ato, como por exemplo calúnia e injúria através de uma afirmação falsa de crime que penalize emocionalmente e moralmente o acusado.
  • Existem alguns detalhes na lei dos crimes citados omitidos, por exemplo quando trata de acusações contra o presidente da república e chefes de Estado estrangeiro. A intenção é deixar o texto menor possível.
Conclusão
Espero que tenha sido claro e objetivo, pois tentei fugir dos termos jurídicos. A idéia era criar um pequeno manual para não-advogados que fosse simples de entender pelo usuário médio. Se tiver alguma dúvida, ou se não me expressei corretamente utilize os comentários abaixo que na medida do meu conhecimento tentarei ajudar.

Sobre o Autor
Glaydson Lima é advogado em Fortaleza, graduado em Direito e Informática, com MBA em Gestão de Negócio.

Fonte: navegantes.blog

segunda-feira, 28 de março de 2011

Sites pornôs são procurados 3.000 vezes por minuto no mundo!

 
As tentativas de acesso a sites de conteúdo adulto chegam a, em média, 3.000 vezes por minuto, em um total diário de 4 milhões, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira pela empresa de segurança on-line Kapersky Lab.
As estatísticas globais da empresa demonstram que os bloqueios ocorrem principalmente à noite, com maior número de tentativas por volta das 23h.
Especificamente na América Latina, as detecções acontecem no fim do dia, no período entre 15h e 20h, com pico às 16h.
De acordo com a companhia, trata-se do horário em que as crianças que estudam pela manhã chegam em casa, após as atividades vespertinas --a partir das 18h, o índice passa a cair, pois os pais estão chegando em casa.
"O cuidado com a educação digital dos filhos é importante, mas há perigos ainda maiores, como o roubo de identidade e as perdas financeiras e de dados pessoais", diz a companhia, em nota. Segundo estatísticas da Kaspersky, no Brasil são produzidos 36% dos códigos maliciosos para roubo de dados bancários existentes no planeta.
"Logins de acesso de e-mail, internet banking e de redes sociais; números de CPF e telefones; e endereço são informações valiosas para os cibercriminosos. Em 2010, os brasileiros representaram cerca de 1,5% das vítimas de golpes virtuais e o país ocupa a 15ª posição na lista das nações mais atacadas no mundo", informa a companhia.

Fonte: Folha.com 

AGORA EU PERGUNTO: E QTOS TEM ACESSO AOS SITES PORNOGRÁFICOS? Porque nem todos os pais colocam "bloqueadores".

Pais tomem cuidado com vossos filhos. 

sexta-feira, 25 de março de 2011

Seguem algumas alterações no Hinário Nº 5 da CCB:



1. Hino 210 - Se de Cristo o Nome amares

Quando a irmandade canta o coro deste hino, canta com notas pontuadas que não existem atualmente. No hinário 5 será alterado para se adequar à forma que a irmandade canta. Na primeira pentagrama do coro teremos pontuadas na primeira frase ("Nome bom, e fiel") e na terceira frase ("Defensor de Israel").


2. Hino 127 - Jesus Foi Ao Céu Preparar

Onde está: "Brevemente em nuvens eu voltarei; à Glória vos levarei"
Mudará para: "Brevemente em nuvens retornará; seus santos levará"
(Nesse caso foram somadas as 2 semicolcheias do final em 1 única colcheia).


3. Hino 272 - Dia feliz

Apesar do hino estar escrito corretamente, a irmandade e os músicos acentuam a frase "DIA FELIZ" de forma incorreta e fica "DIÁ FELIZ", ou seja, com um acento incorreto na palavra DIA. Para corrigir este defeito, a fórmula de compasso deste hino será alterada (ela disse não se lembrar para qual fórmula de compasso) e a poesia será modificada. O início do hino será: "Um grande bem, precioso bem, eu recebi do Criador...".

4. Hino 88 - Sinto gozo em falar do Salvador

Quando o hinário 4 foi feito, não havia problema em utilizar a palavra "gozo", porém atualmente existe muita malícia quando se utiliza esta palavra. Desta forma, no hinário 5 não terá a palavra "gozo". Neste hino, além desta palavra, existia um dificuldade em cantar a segunda frase "Ele é todo amor, todo amor". O início deste hino será: "Regozijo-me falar do Salvador, que me concedeu imenso amor...".

5. Hino 345 - Com fé espera no Senhor

Este hino será escrito com 4 pentagramas. Não terá fermata no primeiro e segundo pentagrama. No quarto pentagrama (que era a repetição do segundo pentagrama) terá a fermata que já tem atualmente e terá uma fermata no final.

6. Hino 280 - Do sepulcro ressurgiu triunfante

A dificuldade deste é cantar o "si bemol grave" que aparece em vários lugares. Esta nota será substituída por um "mi bemol" quando tiver uma nota sol antes do si bemol e por um "fá bemol" quando tiver uma nota lá antes do si bemol.

7. Hino 4 - Grandioso és Tu

Alguns finais de frase deste hino são acentuados incorretamente, apesar da música estar correta. Na primeira estrofe onde está escrito "Rei da Verdade", a irmandade canta como se tivesse um acento no final: "Rei da Verdadê". Para corrigir isto, a música será modificada neste trecho e em outros trechos semelhantes. No lugar de uma colcheia e uma mínima, teremos uma semínima e uma semínima pontuada. Desta forma, sai a forma sincopada. Neste hino também foi orientado o final "poco rall", que deve bem executado.

8. Hino 99 - Novos céus nós aguardamos

Da mesma forma que o hino 4, alguns finais da semi frase deste hino são acentuados incorretamente, apesar da música estar correta. Na primeira estrofe onde está escrito "Novos céus nós aguardamos", a irmandade canta como se tivesse um acento: "Novos céus nós aguardamôs". Para corrigir isto, a música será modificada nestes compassos. No lugar de uma colcheia e duas semínimas ligadas, teremos duas semínimas pontuadas. Além disto, será retirado o "rallentando" do final do coro.

9. Hino 223 - Todos juntos, jubilemos

Neste hino tem uma dificuldade no canto da segunda estrofe: "Ele é o Alfa e o Ômega, é o Primeiro e o Derradeiro". Além disso sempre tem gente dizendo que a palavra não é ÔMEGA mas sim é OMÉGA. Este trecho será alterado para "Jesus Cristo, nosso Mestre, é o Primeiro e o Derradeiro...".


10. Hino 336 - Jesus disse: O Pai celestial vê

Para tristeza dos violinistas, o arpejo no final da estrofe será retirado e a harmonia será modificada. No final os arpejos continuam, mas será tocado por todos e será cantado pela irmandade. No lugar de "Louvai, buscai, o reino eternal dos céus" será: "Glória, sempiterna glória, ao Deus vivo nosso Pai celestial". Este hino terá outras alterações na poesia.

11. Hino 380 - Vinde a Mim!

O coro será modificado e as notas ligadas deixarão de existir. Como ficará o coro deste hino:

"Vinde a mim vós todos cansados e oprimidos"
Falou o grande Mestre, Jesus, o Redentor.
Pois seu fardo é leve, seu jugo é suave;
Só Ele traz alívio, perdão ao pecador.

12. Hino 402 - Granjeai, granjeai os talentos

Existem alguns hinos longos no hinário 4. Em alguns destes hinos foi retirada uma estrofe. Outros hinos foram modificados para que a irmandade cante as estrofes e o coro será cantado apenas no final. Este é o caso do hino 402.

13. Hino 273 - Não tardará a volta do Senhor

Os hinos que têm notas muitas agudas, como é o caso do 273 que tem a nota sol aguda no coro, serão modificados. A tonalidade do hino 273 será alterada de DO para LÁ BEMOL.

· Não haverá hinos com melodias repetidas (caso de 2 hinos do hinário atual).
· Em todos os hinos será informada a velocidade, contendo a velocidade mínima e a velocidade máxima.

Ao que tudo indica o novo hinário terá 486 hinos e será lançado na Assembléia de 2011.

Deus abençoe a todos

 





segunda-feira, 14 de março de 2011

TESTEMUNHO - SOZINHO NA FLORESTA AMAZÔNICA. ( IR. ERASMO )




Esta obra aconteceu com nosso irmão Erasmo, que tbm faz parte dos seguidores deste blogger.

ASSIM ELE RELATOU:


Hoje contarei o que aconteceu comigo, em 1.979, e, como Deus age em nossas vidas, por vezes, de maneira um tanto estranho a nós.



O ano era 1.978, quando cheguei em Rondônia, mais precisamente em Ariquemes, um “vilarejo” criado para integração do homem sulista e nordestino à plena Floresta Amazônica. Alguns de meus familiares já estavam nesta paragem havia um mês e já possuíam terras cedidas pela União, através do então INCRA. O local era o retrato da pré-história, não havia energia elétrica, água tratada, entre outras benfeitorias. Não havia trabalhos urbanos, a única saída era adentrar a área rural e comigo não fora diferente, logo que possível, consegui minhas terras (250 hectares) à 60 quilômetros de Ariquemes, mas seguindo por trilhas mais ou menos conhecidas, distava 150 quilômetros. Precisava ocupar, ou perderia a concessão e eu, caipira da cidade, com a única experiência de floresta adquirida quando ainda estava no Exército, enfrentei a situação, unindo-se a um grupo de novos “fazendeiros”, adentramos à mata fechada, cada qual com seus víveres às costas em um saco tipo mochila, pesando uns 30 a 40 quilos.
Após transpor rios, serras, pântanos, ouvir esturros de onças, ver vestígios dos temidos índios uru-eu-wau-wau, minha condição de citadino falou mais alto e a mais de 3 dias de peregrinação mata a dentro, meus joelhos começaram a travar, seguindo-se uma dor aguda insuportável, fazendo com que liberasse o pessoal para seguir adiante, enquanto eu fui ficando, com os joelhos sem poderem dobrarem-se, impossibilitando de andar na floresta onde há troncos, pedras, córregos e toda sorte de obstáculos.
No quarto dia a enfrentar insetos, espinhos e cobras, mais ou menos às 16h00, mas nesta floresta espessa, a impressão que se tem é que já é noite, as nuvens carregadas e negras pairavam sobre mim, literalmente, ouvia-se os estrondos dos trovões, as copas das árvores, por vezes, iluminavam-se com o cintilar dos relâmpagos, onde a gigante floresta amazônica enfrenta de igual para igual a imensidão das tempestades em um ritual assombrados de gigantes assustados.
Nestas condições, já não sabia para que lado estava o norte e muito menos, qual direção seguir, se os joelhos melhorassem. Com a noite viera a chuva, sem abrigo apenas ficava ora de um lado de uma árvore, ora de outro, rogando a Deus para que desviasse os raios de minha direção e rogando para sair daquela situação que não sinalizava por melhorar. Molhado até os ossos, podendo deparar-se com uma fera a qualquer instante, confesso que em toda minha vida não havia passado por situação semelhante. Passava da meia noite, quando em minha oração, vi-me forçado a abrir os olhos e a floresta, de repente estava iluminada, era uma estranha luz onde não havia sombras, isto percebi logo e estarrecido pensei: - algum raio acertou-me e creio que estou morrendo! Estava orando sentado, pois não havia como dobrar os joelhos e em um pulo, pus-me em pé. Bem, percebi que estava vivo e a chuva havia passado.
Fiquei algum tempo a meditar. Medo? Não sabia e nem tinha a honra de tê-lo. Cansaço, fome, dor? Isto sim, tinha com sobras. A vida passa como um filme diante de seus olhos. Nesta hora você não precisa de normas, regulamentos, doutrinas, leis; você precisa de Deus! Quando decidi colocar todas as minhas esperanças no Senhor Jesus, eis que surge entre os arbusto um homem, aparentemente com minha idade e estatura, eram umas duas horas da manhã; e, perguntou-me: - o que faz por aqui? Qual é o seu nome? Respondi: chamo-me Erasmo e estou aqui... contei-lhe minha história. A noite voltara a mais completa escuridão e apesar disto enxergávamos um ao outro, com certa dificuldade. Perguntei-lhe sobre a estranha “claridade” e ele disse-me que nada havia percebido. Continuando: -Vou tirar você daqui, por seus próprios meio, vou procurar algo para colocar nestes joelhos. Embrenhou-se na selva e após uns quinze minutos estava de volta com um misto de peixe e cobra nas mãos; fiquei assustado e ele disse-me: - Este é o peixe elétrico, tirarei um tipo de óleo ou banha e passarei em seus joelhos. Não havia como fazer fogo e não via como retirar a gordura de um peixe, tipo uma enguia. Ele entretanto amarou-o em um cipó e rasgou parte do saco que eu carregava os mantimentos e fazendo duas faixas colocou-as sob o peixe e passou a “riscar” o corpo do mesmo com uns espinhos e logo formou-se algum tipo de líquido nas faixas. Amarrou-as, cada uma em um joelho e armou uma rede (que eu trazia), entre dois arbustos e disse-me para repousar e somente levantar quando tivesse certeza que as dores haviam passado. Dizendo isto, afastou-se, tão misteriosamente, como chegara. Acredito que eram umas 03h00 Dormi profundamente, acordando com o dia clareando, entretanto, estava completamente descansado.
Levantei-me e nada sentia nos joelhos. Pensei, vou seguir a direção que o seringueiro me indicou, tentar andar o máximo que puder para quando a dor voltar estar mais próximo possível da saída. Deixei todos os mantimentos para trás e saí o mais rápido possível... fiz em um dia o que tinha levado três dias. Procurei saber quem era o forasteiro e todos os mais antigos na região foram unânimes em dizer que em toda a área do projeto, perfazendo um raio de uns 200 quilômetros, não havia quaisquer seringueiro, apenas índios que desciam desde as proximidades das serras Pacaas Novos e que na direção que eu estava, havia apenas o grupo que havia entrado comigo. Contei sobre o peixe e eles riram, pois conforme o local que eu descrevera, o próximo rio ficaria a mais de 20 quilômetros e o mais incrível, eu estava completamente fora da rota, possivelmente não acharia a saída tão facilmente. Então, não havia rio, não havia forasteiro, mas eu sempre soube o que acontecera e jamais esquecerei. Meus joelhos jamais voltaram a doer, fiz várias caminhadas posteriormente, adentrei até uns 150 quilômetros dentro da floresta e jamais senti quaisquer problema de saúde. Nem mesmo a malária, comum na região, atingiu-me. O local, de tão longe, hoje fica em outro município, não possuo mais as terras, apenas um cunhado mora nas cercanias, mantendo em suas terras, uma Igreja da CCB e uma Escola do Primeiro Grau. Passei a trabalhar na Prefeitura de Ariquemes e comandei por muito tempo o Sindicato Patronal Rural e a Associação dos Cacauicultores de Rondônia, conheci basicamente todos os ex-seringueiros e até ajudei-os em sua associação dos Soldados da Borracha e realmente, aquele homem que socorreu-me, não é por ninguém conhecido.
Não tenho a ousadia remeter o caso ao sobrenatural, apenas sei que Deus jamais abandona quem Nele confia, em quaisquer circunstâncias. Alguém Ele colocara naquele local e hora, para socorrer-me. Salmos 28:7 O SENHOR é a minha força e o meu escudo; nele o meu coração confia, nele fui socorrido; por isso, o meu coração exulta, e com o meu cântico o louvarei.



Hebreus 4:16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.



Deus Abençoe.

Erasmo Nascimento.

TESTEMUNHO - EDIFÍCIO JOELMA/SP - IR. "LEONARDO"


Quando eu era criança vivi o dia em que o edifício Joelma pegou fogo, porque acompanhei as imagens em uma TV preto e branco de um vizinho e acompanhei as reportagens posteriores. Foi o meu trauma de infância. Lembro-me das cenas, labaredas de fogo saindo pelas janelas, as pessoas correndo para um lado e para outro lá em cima, chamas de muitos metros de altura, os helicópteros sobrevoando o prédio e jogando saquinhos de leite para desintoxicar mas não podiam pousar sobre o prédio pois não havia lugar para pouso, não havia escada de emergencia, o elevador travou durante o incêndio pela pane elétrica e os que estavam dentro foram carbonizados. O exercito mobilizado nas ruas, bombeiros tentavam entrar no prédio e muitos bombeiros morriam intoxicados ou queimados, e a realidade era esse: a partir do andar onde começou o incêndio não havia como descer, o Maximo que se podia fazer era subir cada vez mais para os andares superiores buscando a cobertura do prédio, mas quando se encontrava as chamas já nas escadas e corredores o jeito era tentar se trancar numa sala, o fogo queimava as portas e vinha entrando nas salas e as pessoas sentavam ou se penduravam nas janelas e as labaredas vinham vindo atrás e, apesar dos apelos em megafones e dos apelos que pintavam com pinceis em letras gigantescas no asfalto da rua dizendo "POR FAVOR, NÃO PULE!", muitos pulavam e vinham perdendo membros quando batiam em parapeitos, alguns pulavam abraçados, o centro de São Paulo parou pelo horror daquele dia que, infelizmente, não chovia mas ventava muito, e o vento alimentava a chama e intensificava o horror que começo logo de manhã e se estendeu por muitas horas do dia. Bem, esse é o prólogo do que tenho para dizer, agora vou contar o que foi um dos cultos mais belos que marcaram a minha vida:
Era uma semana de Assembléia e estava hospedados na casa da irmã Isaltina
diversos irmãos da Europa (irmãos Portugueses que residiam na frança) e naquela noite nós e todos aqueles irmãos fomos congregar no jardim Alvorada em Jandira e na hora da testemunhança levantou um irmão para testemunhar em cima do púlpito, era o irmão Jairo, cooperador daquela região (Barueri, ou Jandira, se não me engano) é um irmão Fransino, bem magrinho e escurinho, já um senhor, e ele nos contou isso: disse que quando era moço trabalhava no edifício Joelma em São Paulo e um dia pouco depois de começar o expediente ouve um curto-circuito nos primeiros andares do prédio e iniciou-se um incêndio, alguns aglomeraram-se no elevador e conseguiram descer mas na terceira leva o elevador travou e os que estavam dentro morreram queimados então eles começaram a correr escadas acima e o fogo vinha subindo muito
rápido. Quando ficou encurralado pelo fogo o nosso irmão se trancou em uma sala junto com outras pessoas, e todos gritavam, chamavam os seus santos e seus deuses, e segundo irmão Jairo, naquela hora todos era iguais, não havia preto, nem branco, nem pobre, nem rico, a visão ardia porque a fumaça entrava por debaixo da porta e pelas janelas, os que estavam perto das janelas pulavam e gritavam e ele saiu de perto porque percebeu que pulavam um atrás do outro. Então o irmão foi para uma janela e não dava para ver o horizonte por causa da fumaça preta que saia do prédio e o irmão lembrou-se que daquele lado ficava a igreja do Braz e naquele tempo as reuniões da mocidade eram no Braz e eram apenas uma vez por ano.
Então o irmão conversou com Deus e falou: "Ah, senhor, quantas vezes ali no Braz Tu me visitastes, eu tenho a recordação de tantas reuniões da mocidade que Tu mudastes o meu cativeiro. Que saudade! E agora eu sei que eu vou morrer e que eu nunca mais vou participar de uma reunião! Mas eu te peço uma coisa, se Tu queres, manda um vento limpar essa fumaça e permita que eu veja a tua casa mesmo que seja pela última vez! E na mesma hora o vento mudou de lado e apareceu a igreja do Brás dentro do campo de visão do irmão. E logo o vento mudou novamente e não se via mais a igreja e então o irmão olhou para traz e viu que a porta da sala onde ele estava começou a ser tomada por labaredas e o fogo que estava lá fora começou a entrar na sala. Nessa hora o irmão saiu de perto da janela para não ser impulsionado a pular e muitos estavam pulando, então o irmão sentou-se no chão encostado na parede olhando para a porta e haviam mais algumas pessoas sentadas do lado dele. E as pessoas começavam a tossir, tossir e de repente caiam para o lado mortas, intoxicadas. Ele olhava para um lado cai um, olhava para o outro caia outro. E ele também, tossindo muito, já sem conseguir
respirar, foi caindo lentamente e olhou para a porta (aonde não havia mais porta, mas apenas uma labareda de fogo) e viu um bombeiro passar no meio das chamas e entrar na sala.
O bombeiro trazia toda a farda: macacão, cinturão, capacete, mascara contra gás, e o bombeiro parou a alguns metros do irmão e fez um sinal com a mão chamando ele. E foi saindo da Sala. O irmão Jairo, sem conseguir falar por causa da fumaça e falta de ar desesperou e esticou a mão para ser puxado pelo bombeiro, mas o bombeiro que ia saindo apenas parou (no meio das chamas) olhou para traz e fez sinal novamente para
ele segui-lo, então o irmão Jairo não conseguia falar e nem andar, foi engatinhando e tentando dizer "me espere, me ajuda!", mas o bombeiro continuou andando, o irmão Jairo passou engatinhando no meio das chamas e o bombeiro foi descendo pelas escadas no meio de labaredas e de vez em quando parava entre labaredas e apenas fazia o mesmo sinal com a mão "venha" e o irmão Jairo foi descendo engatinhando nas escadas em chama e apenas no pensamento dizia "Pelo amor de Deus! Espera-me! Ajuda-me!" De repente, engatinhando, o irmão Jairo alcançou o corredor térreo e viu a rua e alguém gritou "Olha! tem alguém que ta conseguindo sair! Aí correram e agarraram ele para levar para a ambulância e ele, sendo carregado, ia tossindo e dizendo Cadê o bombeiro que me tirou Cadê o bombeiro que me tirou, Mas que bombeiro? O bombeiro que desceu comigo e saiu na minha frente. Aí disseram: nós estávamos olhando para
a porta antes de você sair e não saiu bombeiro nenhum só saiu você! Bom, irmãos, pra quem é crente não precisa explicar o que ou quem era aquele bombeiro, mas o irmão Jairo disse que depois de muitos meses ainda havia cheiro de fumaça na roupa dele. Com esse irmão testemunhando nós choramos tanto que eu acho que se não desse para encher um tanque de batismo com as lágrimas daria pelo menos para lavar o piso da igreja...
E depois que o irmão Jairo foi sentar levantou, chorando, um irmão português que reside na França (foi dado a liberdade para ele testemunhar em cima do púltpito) e testificou: Irmãos, lá França eu faço parte do grupo de segurança e brigada de incêndio do edifício onde trabalho. E no nosso treinamento foi mostrado um vídeo do incêndio do edifício Joelma, e quando eu vi o vídeo daquele incêndio, eu chorei e falei: Senhor, eu me recuso a acreditar que aí dentro deste prédio não havia pelo menos um crente que tu salvastes! E aí, irmão, como mais ou menos 80 por cento do nosso organismo é constituído de água, ainda conseguimos encontrar lugar para muitas lágrimas!

Glória a Deus! Deus vos abençõe!

domingo, 13 de março de 2011

CENAS FORTES -VC ESTÁ PROVADO/A? E ELES?


PERSEGUIÇÃO NA JANELA 1040 EM 2010


A Classificação de países por perseguição é uma lista na qual os países são classificados segundo o grau de intolerância para com o cristianismo. Seu objetivo é informar a reação dos países ao evangelho e acompanhar aqueles em que a perseguição está se tornando mais intensa.

Nova Classificação de países por perseguição 2010

INTERNACIONAL - A presente Classificação de países por perseguição foi produzida com base em eventos decorridos entre 1º de novembro de 2008 e 31 de outubro de 2009. Portanto, os meses de novembro e dezembro de 2009 não foram considerados para esta edição.

A Classificação de países por perseguição é compilada a partir de um questionário de 50 perguntas que cobrem vários aspectos da liberdade religiosa. Às respostas são atribuídos pontos, dependendo da resposta obtida. O total de pontos por país determina sua posição na Classificação.

O critério de seleção é resultado de um questionário específico desenvolvido com perguntas padronizadas sobre: a situação legal dos cristãos no país; a atitude do regime político em relação à comunidade cristã; a liberdade da Igreja para organizar eventos; o papel da Igreja na sociedade; o tratamento de cristãos considerados individualmente; e outros fatores limitadores da vida de igrejas e cristãos.

O Cazaquistão saiu da Classificação não porque a situação melhorou, mas porque outros países tiveram uma piora na questão da liberdade religiosa. Isso pode mudar se o Cazaquistão implementar leis mais resistentes à religião no futuro.
OS DEZ MAIS

1. Coreia do Norte

Na primeira posição da nova Classificação está novamente a Coreia do Norte, o país em que toda atividade religiosa é vista como uma rebelião aos princípios socialistas que imperam. A situação dos cristãos é extremamente aguda neste momento, embora o regime norte-coreano esteja deixando aos poucos a mão-de-ferro com a qual controlava a sociedade.

Pela mobilização de cada recurso do poder, A Coreia do Norte tenta manipular a sociedade a fim de exterminar atividades cristãs, e usa todos os meios de poder para isso. Foram feitas pesquisas, e descobriu-se muitos cristãos secretos no país.foram expostos durante pesquisas estritas da Coreia do Norte. Diz-se que os cristãos têm sido usados como testes para armas biológicas e químicas.

Apesar dessa situação desumana, A Igreja está florescendo, e aumentam também as chances de pregar o evangelho, especialmente para aqueles que vivem em cidades perto da China.

2. Irã

Neste ano, o Irã ultrapassou a Arábia Saudita e está agora na segunda posição.

O número total de pontos registrados diminuiu devido à ausência de relatos de cristãos assassinados. A onda de prisões que começou em 2008 continuou com a mesma força ao longo de 2009, com cerca de 85 cristãos presos. Acredita-se que o governo usam as detenções para tirar a atenção da população quanto aos problemas internos, como o tumulto causado depois da reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, em junho.

A maior parte dos presos foi maltratada na prisão. Embora a maioria tenha sido libertada, os processos continuam pendentes e os cristãos podem ser condenados a qualquer momento.

Muitos dos que foram libertados estão sob observação e sofrem ameaças. As detenções causaram o grande medo entre os cristãos.

Algumas igrejas foram fechadas em 2009, e o motivo primário foi o fato de ex-muçulmanos frequentarem os cultos.

O islã é a religião oficial no Irã, e todas as leis devem ser compatíveis com a interpretação oficial da sharia (lei islâmica). Embora os cristãos de origem armênia e assíria sejam uma minoria religiosa reconhecida, eles relataram que alguns dos seus foram detidos, vítimas de abuso físico e discriminados.

Essas igrejas têm permissão para fazer cultos em sua própria língua, mas são proibidas de ministrar aos muçulmanos que falam o persa, idioma oficial do Irã. Segundo a sharia, qualquer muçulmano que deixar o islamismo enfrenta a pena de morte.

Algumas igrejas têm a polícia secreta vigiando seus cultos. Aqueles que são ativos em suas igrejas ou grupos domésticos estão sob pressão. São interrogados, presos e agredidos.

Além da pressão das autoridades, os cristãos também enfrentam a pressão da sociedade.

3. Arábia Saudita

A Arábia Saudita foi da segunda posição para a terceira. Isso não significa que a situação da liberdade religiosa no país tenha melhorado. O número menor de pontos foi causado pela ausência de relatos de cristãos assassinados ou agredidos. Houve só um caso de prisão: um pároco estrangeiro sentiu-se obrigado a abandonar o país depois de receber ameaças de morte, algumas da própria mutaween, a polícia religiosa saudita.

Não há liberdade religiosa existe no reino saudita, onde só se permite que cidadãos tenham uma religião: o islamismo. Não há garantias legais de liberdade religiosa. O sistema legal é baseado na sharia (lei Islâmica). A apostasia (converter-se a outra religião) é punível com morte se o acusado não se retratar.

Embora o governo reconheça o direito dos não-muçulmanos de cultuar em particular, o culto público não-muçulmano é proibido.

Os não-muçulmanos que realizam tais atividades correm risco de serem detidos, açoitados, deportados e, às vezes, torturados. Ex-muçulmanos também correm risco de serem mortos pelos próprios parentes, para limpar o nome da família.

4. Somalia

Durante o período coberto pela reportagem, a situação na Somália piorou. As forças etíopes deixaram o país em janeiro de 2009, e Sheikh Sharif Sheikh Ahmad, da Aliança pela Reliberação da Somália, foi feito presidente pelo parlamento do governo provisório.

Em abril de 2009, o parlamento aprovou unanimemente a adoção da sharia (lei islâmica), esperando assim obter o apoio da população, distanciando-a das milícias islâmicas que lutam pelo controle da nação.

Os cristãos são monitorados pelo governo e pelas milícias. O grupo extremista al-Shabaab está caçando os cristãos, e recebemos relatórios de menos 11 assassinatos. Outros foram raptados, presos ou agredidos.

A Constituição provisória provê liberdade religiosa, mas na prática, esse direito é pouco respeitado, porque a Constituição também estabelece o islamismo como a religião nacional, e afirma que as leis não podem contradizer o islamismo.

A maioria dos cristãos vive no sul da Somália. Eles estão em pequeno número, são severamente perseguidos e praticam sua fé em segredo, em condições extremamente perigosas. Outros cristãos somalis vivem como refugiados em países vizinhos.

5. Maldivas

No arquipélago das Maldivas, o islamismo é a religião oficial e todos os cidadãos devem ser muçulmanos. A perseguição aos cristãos nas Maldivas é sistemática: a legislação proíbe a prática de qualquer religião exceto o islamismo; o governo considera-se o protetor e defensor da religião; as igrejas são proibidas; a importação de materiais cristãos é proibida; a discriminação de não-muçulmanos é total; o controle social é enorme e os maldívios concordam com a suspensão de qualquer religião que não seja o islamismo.

No país – um dos menos evangelizados do planeta – há apenas um punhado de cristãos maldívios, que praticam a sua fé particularmente, temendo ser descoberto.

Não há registro de ex-muçulmanos mortos por apostasia nas Maldivas.

Não houve melhora na liberdade religiosa no país durante o período coberto pela pesquisa. Houve dois relatórios sobre estrangeiros cristãos que foram deportados depois se encontrou materiais cristãos em sua bagagem.

6. Afeganistão

Ser cristão no Afeganistão ainda é difícil, em particular porque a Constituição é baseada em princípios Islâmicos. Além disso, o islamismo é a religião estatal e as leis não podem contradizer essas crenças religiosas.

O amo de 2009 foi duro para a Igreja, uma vez que o islamismo aumentou sua influência com a expansão do Talebã em muitas províncias. O Talebã ameaçou imigrantes, agentes sociais cristãos e a igreja local.

A pressão da família e da sociedade é ainda imensa. Quem não esconde sua conversão ao cristianismo é ameaçado até de morte pelos parentes. As ameaças têm o objetivo de trazer angústia, medo e de forçá-los a renunciar a nova fé. Em alguns casos, os novos recém-convertidos são hostilizados e há casos de sequestro. Além disso, eles enfrentam discriminação na escola, no trabalho e nos serviços públicos. Consequentemente, muitos preferem não expressar publicamente sua fé em Cristo, nem se sentem seguros para se reunir com outros irmãos.

As informações que recolhemos não indicaram assassinatos religiosos. Apesar de toda a dificuldade, a Igreja está crescendo no Afeganistão.

7. Iêmen

O Iêmen continua na sétima posição, mas o total de pontos aumentou. Em 9 de junho passado, agentes de saúde cristãos estrangeiros foram raptados por homens armados. Depois de alguns dias, os corpos de três deles foram encontrados, horrivelmente mutilados. O destino dos outros seis ainda permanece desconhecido. Durante o período coberto pela reportagem, houve um aumento na apreensão de materiais cristãos.

A Constituição iemenita garante liberdade religiosa, mas também declara que o islamismo é a religião estatal e que a sharia é a fonte de toda a legislação. O governo permite que imigrantes pratiquem sua fé, mas os cidadãos iemenitas não podem se converter a qualquer religião. Ex-muçulmanos podem sofrer pena de morte se forem descobertos.

Pregar a muçulmanos é proibido. Os que se convertem encontram a oposição das autoridades e também de grupos extremistas, que ameaçam os “apóstatas" de morte, se não se retratarem.

8. Mauritânia

A situação na Mauritânia deteriorou-se gravemente em 2009 devido ao assassinato de um agente social cristão em junho de 2009; à prisão e de 35 cristãos mauritanos no mesmo mês; e a detenção de um grupo de 150 cristãos subsaarianos em agosto, por realizar seu próprio culto (essas reuniões só são permitidas a algumas igrejas católicas e protestantes).

A autoria do assassinato foi reclamado pela al-Qaeda no Magreb, um grupo terrorista da origem argelina ligado à al-Qaeda. A polícia, entretanto, foi responsável pela detenção e tortura dos cristãos mauritanos e subsaarianos.

A Constituição do país o define como república islâmica e reconhece o islamismo como a religião dos cidadãos e do Estado. O governo limita a liberdade de religião proibindo a impressão e distribuição de materiais religiosos não-islâmicos e a evangelização de muçulmanos.

9. Laos

A igreja é relativamente pequena, mas continua a crescer. Há cerca de 200 mil cristãos, a maior parte pertence a minorias étnicas.

Não houve melhora na liberdade religiosa do país em 2009.

A perseguição no Laos inclui algumas restrições na legislação. A atitude do governo é negativa e restritiva em relação aos cristãos – todos são estritamente vigiados por serem considerados agentes dos EUA para trazer a democracia ao Laos.

A Igreja não pode funcionar livremente e suas atividades sociais são limitadas.

Os cristãos são diminuídos na família e na aldeia. A pessoa que renuncia o culto a espíritos sofre grande pressão social.

Algumas vezes, os cristãos são detidos, e muitos experimentam abuso físico e emocional para renunciar a nova fé. Em 2009, dois cristãos foram mortos; outros 21 foram detidos sem julgamento.

Cristãos têm sido fisicamente agredidos regularmente, e um pequeno número de igrejas foi destruído ou danificado. Apesar do alto nível de perseguição no Laos, há muitas atividades não-registradas e a Igreja parece crescer.

10. Uzbequistão

A liberdade religiosa no Uzbequistão deteriorou-se durante o ano passado. A atmosfera ficou mais anti-protestante. Isso ficou evidente no aumento de invasões a cultos cristãos e no confisco de livros. Muitos cristãos foram presos e multados, líderes foram interrogados e sofreram abuso físico e mental em delegacias.

Parentes de cristãos usam o abuso físico para pressioná-los a se converter ao islamismo.

Outro sinal de mudança é o fato de as autoridades usarem os meios de comunicação para difamar os cristãos. Foi exibido um documentário na televisão, originalmente transmitido no maio de 2008, denominado “Nas garras da ignorância”. No filme, os cristãos são retratados de modo negativo, identificados com seitas e descritos como satanistas. Cristãos ativos na igreja foram acusados de drogar e dinheiro para atrair pessoas ao cristianismo. O programa também afirmou que a “seita protestante” tenta atrair crianças.

O documentário foi reprisado várias vezes, mais recentemente em setembro de 2009, e já foi lançado em DVD. O impacto foi intimidador, resultando em sentimentos anti-cristãos.

Apesar da perseguição, a Igreja no Uzbequistão continua a crescer. Muitos cristãos procuram formas de pregar o evangelho. Eles enfrentam muitos obstáculos – por exemplo, a pregação e o louvor na língua uzbeque são proibidos, e as comunidades não podem obter o registro. Sem ele, as reuniões são ilegais.

TV WEB IDE E ANUNCIAI
www.ideeanunciai.com

sexta-feira, 11 de março de 2011

Histórico do hinário utilizado na CCB - Congregação Cristã no Brasil‏


Hinário 1

1. O primeiro hinário utilizado pela irmandade da CCB foi o “Inni e Salmi Spirituali”, datado de 1914, que em 1932 houve uma atualização. Existem muitas divergência e contradições a este respeito.

2. Um pouco depois surgiu um novo hinário denominado “Nuovo Libro D'Inni e Salmi Spirituali” datado de 1928. No prefácio deste hinário consta que é derivado de dois hinários antecedentes: "Inni e Salmi Spirituali" e "Nuovi Inni e Salmi Spirituali".

3. Com o crescimento da Obra de Deus no Brasil, o irmão Fracescon instruiu aos anciães brasileiros que traduzissem alguns hinos para o português, surgindo então o primeiro hinário de fato da CCB.

4. Este hinário foi misto, com hinos em português e italiano. Esta versão teve poucos volumes, aproximadamente 2.000. É uma versão traduzida "ao pé da letra" e muito rara, pois devido às questões políticas da época (Política Nacionalista da Era Vargas), foram recolhidos.

5. No balanço apresentado na Assembléia Geral de 1936 mostra a contabilização da venda dos hinários em 1934/1935. Foram vendidos 2.042 hinário mistos contra 1.677 hinários em português, revelando a preferência dos irmãos pelo hinário misto.

6. É provável que no princípio a CCB utilizou três diferentes versões de hinários, já que a Congregação Cristã no Brasil adquiriu seu primeiro templo somente em 1916. A Congregação só foi oficializada como "Congregação Christã do Brasil" em convenção realizada em 1936. Na década de 1960 foi alterada para "Congregação Cristã no Brasil".



Hinário 2

7. O hinário 2 saiu em março de 1944 com o título "Hymnos e Psalmos Espirituaes" somente em português. No prefácio deste hinário consta que foi o melhor que se adaptava ao desenvolvimento da CCB. A maioria dos hinos foi composta por irmãos de diversas nacionalidades.

8. "O estudo analítico da evolução do hinário da Congregação certamente revelaria diversas etapas do crescimento e desenvolvimento dessa nova igreja, explicando sua rápida transição, da cultura predominantemente italiana para a brasileira num período rápido de tempo. O elemento italiano, tanto racial como lingüístico, foi a ponte atravessada pela nova igreja para atingir um rápido padrão de crescimento." (READ, 198-?, p. 24)

9. O hinário ainda possuía uma qualidade muito inferior, prevalecia uma tradução que não respeitava os padrões gramaticais vigentes da época. As elisões (ato de eliminar ou suprimir) com vogais provocavam muita confusão e a acentuação tônica não se enquadrava com a acentuação métrica musical.

10. Sempre nos finais dos hinos era cantado o "Amém". Foram disponibilizados 250 hinos para os cultos oficias e 25 para as Reuniões de Jovens e dos Pequenos.

11. É exatamente nessa época que entra a figura da irmã Ana Spina Finotti, sobrinha do irmão Miguel Spina, que nessa década estava aproximadamente com 16 anos. Segundo a irmã Ana, o Irmão Francescon pediu que não houvesse grandes mudanças por que a irmandade ainda era muito leiga.



Hinário 3

12. Em março de 1951 foi editada uma nova versão do hinário. Surgiu o hinário 3 com o título "HINOS DE LOUVORES E SÚPLICAS A DEUS" e com 330 hinos.

13. Sua característica fundamental foi a atualização radical das letras dos hinos, até porque houve grandes reformas ortográficas na Língua Portuguesa. Na parte musical praticamente não houve alteração, apenas a extinção do "Amém" nos finais de cada hino entoado.

14. A irmã Ana conta que não era mais possível continuar utilizando o antigo hinário 2, pois Deus já havia convertido muitos irmãos estudados, professores, advogados, etc., e havia muita divergência com aquela ortografia e acentuação métrica.



Hinário 4

15. Em março de 1965 com os mesmos argumentos, houve uma reforma no hinário, mantendo o título “HINOS DE LOUVORES E SÚPLICAS A DEUS”, apenas com a referência de Livro 4.

16. A principal alteração foi a reformulação total da "clave de fá". Praticamente foram excluídos todos os arpejos e contratempos. Restaram somente dois hinos com essas características: hino 125 (Minha oração) e hino 420 (Alegria sinto em servir Jesus).

17. Este hinário contém 400 hinos para cultos oficiais e 50 hinos para as Reuniões de Jovens e Menores. Os 400 hinos foram separados em hinos para Santa Ceia, Batismo, Funeral e Encerramento. Os demais hinos contêm uma classificação que melhor se encaixa no desenvolver dos cultos, mas não receberam o sinal de exclusividade ("*"). Também possui 6 corinhos utilizados para os finais de culto.

18. Este hinário sofreu diversas atualizações com o decorrer do tempo.

19. Por volta de 1975 o hino 376 ("Vinde ó benditos de meu Pai") teve sua partitura completamente alterada.

20. Por volta de 1976 foi inserido nos hinários musicais os 12 pontos de doutrina da CCB.

21. Em 1980 o hinário musical recebeu a sinalização para arcadas de violinos.

22. Em 1985 o hinário musical recebeu a sinalização para respiração, sendo vírgulas maiores para respirações longas e vírgulas menores para respirações curtas.

23. Em 1990 surgiram os primeiros hinários musicais no formato encadernado com espiral. Até então todos os hinários eram em brochuras, o que foi extinto com o tempo.

24. Em 1992 surgiu o hinário exclusivo para organistas (capa cinza) com dedilhados, inversões e alterações próprias.

25. Em 2002 surgiram os hinários em outras tonalidades: Mi bemol (capa vinho) e Si bemol (capa azul). Até então só existia a versão em Dó (capa preta).

26. Além dessas atualizações, a língua portuguesa ainda sofreu outras reformas ortográficas, obrigando outras atualizações.

27. Alguns acidentes ocorrentes, principalmente os "bequadros" foram extintos, para evitar redundância musical.

28. Também surgiram hinário de diversos tamanhos: hinários musicais (gigante, médio, intermediário e pequeno) e de canto (gigante, médio e pequeno).

29. O hinário foi registrado no Ministério da Educação e Cultura. Também foi inserida uma página para identificação do usuário.

30. Em 2002 surgiu hinário de canto com capa branca e também o hinário exclusivo em Braille.

31. Atualmente está sendo preparada uma nova edição sem previsão de lançamento. Alguns ensaios musicais já foram realizados e há uma equipe reservada para tratar desse assunto.


Deus vos abençõe!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...